WhatsApp: (11) 99020-0707
(11) 4312-6599

Mídias sociais, o uso correto

As mídias sociais estão na moda cada vez mais. É difícil hoje em dia conhecer alguém que não utilize uma delas ou que pelo menos não tenha feito um cadastro.

Com esse crescimento em potencial, é natural que as mídias venham a se tornar uma excelente ferramenta de divulgação, interação e propagação para as lojas virtuais, mas na maioria dos casos é utilizada da forma errada, acabando mais prejudicando o empreendedor do que o auxiliando.

O principal erro está em achar que as mídias e redes sociais serão sua ferramenta de venda. Mesmo que me xingue ou crucifique, entenda que  elas não vão vender nada para você.

Mas afinal, se elas não vendem, por que eu devo me preocupar tanto com elas? É simples: como já falei, elas são responsáveis diretas para que você interaja com o seu consumidor.

Quando falo em interação, quero dizer que você deve saber ouvir as dificuldades e as reclamações de seus clientes e trabalhá-las para reverter estes em clientes satisfeitos e que irão indicar sua loja virtual para outros consumidores interessados em seus produtos.

Aquela famosa máxima “O Boca a Boca é a melhor divulgação” está tão correto para as mídias sociais que deveria ser utilizada como base para qualquer tipo de campanha neste segmento.

A interação dentro das redes e mídias sociais não se limita apenas a ouvir críticas e reclamações, ela também irá lhe ajudar a propagar seus produtos por toda a internet, desde que você não exagere no “Compre isso” e se transforme em um SPAMMER, a cada 5 minutos enviando propaganda para os usuários.

Fazer uma campanha inteligente consiste em procurar chamar a atenção do consumidor, o que fará com que novos seguidores, amigos e outros nomes dados nas mídias sociais se aproximem cada vez mais de seus produtos, mas fique atento: teste sempre todas as hipóteses possíveis de resultado que podem surgir na campanha que elaborar, pois por aí está cheio de exemplos de falhas catastróficas por falta de estratégia.

Procure evitar quem lhe promete vender pelo Facebook, Google Plus, Twitter ou qualquer outro meio além do seu site, e  procure sempre consultorias que valorizem a interação e apresentem estratégias viáveis para se aproximar do consumidor final.

Saiba que mesmo atraindo a atenção destas pessoas, você não vai conseguir de imediato vender para elas, e que vai precisar dar duro com seus “amigos ou seguidores”, pois estes querem saber onde estão comprando, a opinião de quem já comprou e o que acharam do atendimento, prazo de entrega, etc.

Por isso, sempre que um cliente lhe perguntar, responda da forma mais educada possível, e quando for um problema, solucione com rapidez, para que todos vejam sua prestabilidade.

Outro fator a se evitar é substituir a página de seu e-commerce por uma destas ferramentas, já que todas elas um dia irão passar pelo ápice, mas vão acabar no esquecimento. É típico do ser humano procurar por coisas novas, e temos vários exemplos disto: o Orkut, o Myspace, entre outros.

Fora as limitações de tempo, também existirão as de público, pois nem todos utilizam as mesmas mídias, e se você levar em conta as questões de SEO, verá que sua loja virtual estará presa dentro de uma ilha.

Em um próximo artigo, farei um Raio X sobre as mídias sociais, mostrando as vantagens e desvantagens de cada uma. Aproveite para participar da nossa discussão e comente e avalie este artigo.

Related Posts

Leave a reply